“Seminário Carajás 30 anos” promove debate com pesquisadores de reconhecimento nacional

Edna Castro, do Pará, e Alfredo Wagner, do Amazonas estão entre os palestrantes

 

O “Seminário Carajás 30 anos: um olhar para os grandes projetos da Região Tocantina” que acontece de 16 a 18 de outubro, no auditório da Secretaria Municipal de Saúde, pretende trazer para o público de Imperatriz, as contribuições de pesquisadores com reconhecimento nacional sobre as discussões que envolvem os grandes projetos de desenvolvimento.

O evento vai contar com a realização de três mesas redondas, compostas por representantes de instituições públicas, movimentos sociais e academia. No primeiro dia do seminário (16 de outubro), a mesa de abertura vai abordar o tema “Trabalho, Migração e Movimentos Sociais” e terá a participação do Professor Dr. Alfredo Wagner, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Wagner tem doutorado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e atua principalmente nos estudos sobre povos tradicionais, etnicidade, conflitos, movimentos sociais, processos de territorialização, cartografia social e Amazônia.

No segundo dia, a mesa será composta pelo professor Mestre, Bartolomeu Rodrigues Mendonça, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA – São Luís). O tema será “Sociedade, economia e meio ambiente: violações de direitos decorrentes do Programa Grande Carajás” e vai contar também com a participação de Cristiane Faustino, da Relatoria do Direito ao Meio Ambiente da Plataforma DHESCA Brasil, que recentemente fez pesquisa no Corredor de Carajás e na ocasião vai lançar os resultados dessa pesquisa com a apresentação de um relatório.

Edna Castro, doutora em Ciências Sociais pela Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (Paris) comporá a mesa do terceiro dia de evento. A professora que atualmente trabalha na Universidade Federal do Pará (UFPA) vai falar sobre o tema “Cultura, identidade e Questões Sociais”.

Além dos palestrantes renomados nacionalmente, as mesas também serão compostas por instituições como o Ministério Público Estadual e representantes de movimentos como Rede Justiça nos Trilhos, Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra, Movimento das Quebradeiras de Coco, Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos Carmen Bascarán (Açailândia), entre outros.

O evento tem o objetivo de avaliar criticamente os 30 anos do Programa Grande Carajás e, a partir do tema central do ‘desenvolvimento’, discutir suas consequências sociais, ambientais, econômicas e culturais na região Tocantina. Pretende, com isso, envolver movimentos sociais, pastorais e grupos afetados, em diálogo permanente com grupos de estudos e pesquisadores acadêmicos.

Para ver a programação geral acesse aqui!

Submissão de trabalhos até 27 de setembro de 2013. Veja aqui as normas para envio.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s